Sobre o Ensino Superior

Publicado: janeiro 14, 2013 em Poemas

É comum os criacionistas entrarem numa universidade ou faculdade e saírem do ensino superior ainda mais criacionistas… – Eis a prova máxima da péssima Educação oferecida no Brasil (e não somente em nosso País).

Anúncios
comentários
  1. DONISETE FOGAÇA disse:

    Qual a interferência do posicionamento religioso com o nível de educação do indivíduo? Por acaso seriam os ateus/céticos e afins melhores dotados de inteligência? O fato de ter uma crença torna o indivíduo menos capaz para desenvolver atividades acadêmicas que contemplam a metodologia científica? A Universidade tem por finalidade “transformar” a identidade religiosa de seus alunos? ….

    • Marcelo Belini disse:

      Como a maioria das universidades latino-americanas, no Brasil adotamos uma grade de disciplinas com características “Tomistas”, ou seja, características que remontam à Idade Média. Qualquer pesquisa por mais simples que seja (ou mais elaboradas como as do pesquisador britânico Richard Lynn, o sociólogo norte-americano Phil Zuckerman ou a pesquisa feita pela “Global Peace Index”, entre tantas outras) demonstra sempre que, quanto mais religioso um País, menos educado ele é (influenciando de imediato em sua qualidade de vida). Provas contemporâneas disso: Noruega, Suécia Dinamarca. Será que o desenvolvimento deles sempre foi pautado na religião? Eles deixam que a religião interfira em suas ações como Estado? Creio que não… Enquanto isso no Brasil…
      E a função da Universidade seria demonstrar os parâmetros científicos para os estudantes e não apenas deixar fluir um relativismo infrutífero que o deixará pensando que ele pode levar a falta de evidências e o conformismo para a formação dele.

      • DONISETE FOGAÇA disse:

        Esse posicionamento é interessante, mas entendo que a falta de uma educação adequada leva a um “estado de religiosidade” conformista, onde se espera tudo de Deus, até mesmo quando muitos exploram a fé pública com o vil objetivo de extorquir-lhe bens e/ou favores. Quando se tem uma educação de maior nível a visão sobre as crenças também muda, embora não precise deixar de existir necessariamente. Acredito que o nível social do qual sofremos consequências desde a nossa colonização é o fator preponderante para essa questão deficitária de desenvolvimento que assola nosso país, aliada a cultura do “jeitinho brasileiro” e não, propriamente, o fator religioso. Portanto é muito mais reflexo da condição sócio-econômica de um povo do que propriamente das suas crenças. Minha opinião pessoal, com total respeito aos estudiosos das causas sociológicas.

      • João Carlos disse:

        Professor Belini, permita eu comentar minha humilde opnião, acho que é intencional o fato de não se pensar em um ensino mais pluricultural. Por que? Bom, acho que a organização por trás do ensino não está só vinculada ao ensimo mesmo que queiram me falar em setores de governo, porque há todo um interesse econômico que passa por cima de tudo no que se refere a organização e a priorização dos projetos. Gênios, doutores e profissionais bem intencionados e com as soluções pro mundo existem milhares, mas ainda falta muita disposição dos capitalistas que insistem em colocar na mente dos jovens a conhecida cultura da bunda. (não que eu não goste de bundas!! fique bem claro aqui) haushausahsu

      • Seu amante disse:

        Isso que propõe é proselitismo… não importa o que a ciência tenha a dizer, não importa o que a religião tenha a dizer, o que importa é construir seu próprio conhecimento, independente de ser verdadeiro ou não… eis a liberdade de escolher o seu próprio presídio… ou não!

  2. Marcelo Belini disse:

    Por mais que eu tente, eu não consigo ver diferenças entre um religioso sem o mínimo de informação (dogmatismo ingênuo) e um religioso com alguma formação (pragmatismo religioso). A questão é: enquanto meu post comenta uma possibilidade e uma crítica que carrega parâmetros objetivos (e porque não, universais), seus comentários fazem inferência a uma fé particular (e por isso, subjetiva). Quando os religiosos tentarem observar as características objetivas da realidade ou quando os ateus se interessarem por uma particularidade subjetiva como uma verdade válida, talvez essa discussão esteja perdida… sei que isso nunca acontecerá, pois, a validade universal apontada pela ciência, nunca será aceita por pessoas que ainda procuram por “muletas existenciais”.

  3. DONISETE FOGAÇA disse:

    Seria uma utopia ciência e religião andarem juntas? Enquanto não houver respostas satisfatórias aceitas por militantes de ambas as partes precisamos ser respeitosos com a consciência defendida por ambos os lados. Todo o conhecimento terá seu valor se os métodos de exposição respeitarem toda e qualquer forma de valores, sejam eles preconizados pela ciência ou religião.

  4. Marcelo Belini disse:

    Utopia com toda certeza!
    Não haverá respeito enquanto as formas religiosas quiserem se intrometer em questões que não fazem respeito a elas… Basta ver escolas que ostentam crucifixos e bíblias… ou decisões políticas (públicas) que ferem a constituição que se diz laica… Eu não sei respeitar tal “valor”, na verdade não consigo nem chamar isso de valor…

    • DONISETE FOGAÇA disse:

      Os “valores” refletem a identidade de um povo, de uma uma sociedade e respeitá-los faz-se necessário para uma convivência pacífica, mesmo que se trate de um pseudo-respeito. Independente de ideologia ou corrente filosófica, a natureza humana possui em si, a mesma origem e o mesmo fim.

      • Martinimarduk disse:

        pseudo respeito como a religião usa a milhares de ano? esse qualquer pessoa honrada e educada não deseja. Você escreve isso como se a religião fosse dona da moral, e pessoas sem religião não tenham valores.
        Bem tipico de religiosos essa fala ideológica.
        Falar de natureza Humana como se ela estivesse atrelada a qualquer tipo de crença (gênesis ontologica e teleologia) é falta de senso acadêmico.
        :/

  5. Juliano Gama disse:

    Pelo que eu vejo nas instituições de ensino dos países mais religiosos e inclusive no Brasil, existe uma barreira dogmática que impede a maioria de aceitar um ensino pluricultural, e com isso baseando todo o conhecimento que adquirem nas escolas em suas crenças religiosas e rejeitando qualquer outro que contrarie as mesmas; é fato que as religiões impõem limites, principalmente sobre pontos de vista opostos à elas, e isso não é saudável, pois interfere gravemente no desenvolvimento do país, gerando um retrocesso na evolução intelectual do povo, os tornando fracos e suscetíveis à serem governados por pessoas que adotam posições inferiores ao qual o país precisa para se desenvolver, e podemos confirmar isso pelos rumos que o mesmo têm tomado desde que as religiões começaram à dominar espaços que a instituição declara laicos, e muitos até respeitam mais um livro que dizem ser sagrado do que a própria constituição do país, dessa forma é bem ilógico buscar a Ordem e o Progresso;
    e como resultado de uma péssima educação, as pessoas se deixam serem alienadas e manipuladas tanto pelos líderes políticos quanto pelos religiosos; boa parte dos Brasileiros são fracos em matérias que devem ser a base do país como História, Ciências, Filosofia e Matemática; a História nos ensina à não cometermos os mesmos erros do passado, as Ciências nos ensinam que existem mundos diferentes daqueles que aprendemos no início da vida, a Filosofia nos ensina à usar o cérebro em sua capacidade máxima, ao mesmo tempo em que nos torna menos egocêntricos e a Matemática nos ensina à sermos mais racionais, seguindo o belo caminho da lógica!
    mas mesmo assim muitos líderes insistem em querer acrescentar ensino religioso, impondo todo o tipo de limites aos nossos cérebros ilimitados.
    para finalizar, ao meu ver, basear o futuro de um país em uma crença religiosa é algo irracional, tomando como exemplo os países do oriente médio e de todo o continente africano, onde o povo recebe uma educação falha e decadente, e infelizmente o Brasil está seguindo este mesmo caminho.

  6. Martinimarduk disse:

    Uma busca rápida em qualquer site de busca sobre artigos científicos lhe dá base que colabore com que tu afirmaste.
    Veja, por exemplo, no SciELO, e também seguindo o raciocínio (já que os religiosos, como acima, adoram fugir do assunto por lhes parecerem mais conveniente o não enfrentamento racional com fatos e argumentos que possam ser expostos e analisados) posso afirmar que quanto menor é o grau de escolaridade de um povo maior ele é religioso, segue uma tabela que possui referencia para que analisemos:

    essa tabela está diretamente relacionada a religião, politica, educação.
    eu observo países latinos em sua formação educacional muito pequena e como eles votam de péssima forma.
    já em minha experiencia particular, formação acadêmica, pude experienciar a formação de religiosos e como a suas religiões atrapalharam o desenvolvimento do método cientifico, causando lhes um dano a sua profissão.

  7. Sabrina Diniz disse:

    “A ciência sem a religião é manca, a religião sem a ciência é CEGA.” (Albert Einstein).

    Independentemente se algum dia vamos chegar a presenciar a união destas (o que acredito que ainda seja um ruar, uma utopia), não podemos vendar nossos olhos e dilapidar a realidade que nos cerca: Conflito entre religião e ciência é o que move nossos conhecimentos, nos levando sempre a diversificadas perguntas e não respostas, pois as respostas, bom, elas são muitas… Essas questões é o que nos faz perscrutar quais são os limites de nossas opiniões, que muita das vezes, de forma tênue ou não, nos traz pensamentos que indiquem guerra a posição contrária. Quanto a realidade das escolas e universidades, alguns padrões deveriam ser revisados. Não estou aqui pra defender ninguém (até porque eu tenho minhas raízes religiosas), mas não é também através da educação que se buscam a isonomia entre os povos? Crucifixos e bíblias dentro de um lugar que se almeja a igualdade e não a disparidade? Fato.

    • Martinimarduk disse:

      Sabrina você poderia citar a fonte que atribui a Albert Einstein essa frase?
      vendar os olhos é para quem tem um pressuposto (crença) e não para quem é critico (cético). o que move nosso conhecimento é a curiosidade Humana.

      ” Me parece uma desonestidade fundamental e uma traição a integridade intelectual ter uma crença porque ela é útil e não porque ela é verdadeira”.
      Bertrand Russell , em seu livro “porque não sou cristão”.

  8. sin disse:

    Quando falta massa crítica na cabeça do cidadão, o que vem de casa sobrepõe qualquer fato..

  9. danilo disse:

    quanto mais desenvolvido um pais é menos religioso ele tende a ser.
    dizer o contrario é idiotice.
    e quem disse que religião e ciência não podem andar juntas???
    Georges Lemaître que p diga! hehehe

    • Martinimarduk disse:

      Georges Lemaître em relação ao assunto mandou uma duzia de cartas ao Papa pedindo que parasse de dizer que a Ciência podia caminhar com a religião. Ele afirmava que as duas tinham importância, ideia que não concordo, mas também afirmava que cada área tinha que ficar sem a influencia da outra. Ou seja ele mesmo disse em várias cartas enviadas ao Papa.

  10. Sabrina Diniz disse:

    Caro Martinimarduk, com o que me recordo vagamente, acredito que Einstein a disse em uma conferência que fez num seminário teológico unionista em NY, mas também creio (por mais que ainda eu não tenha lido) que esteja na obra de Max Jammer (professor de Física e colega de Einstein em Princeton): ”Einstein e a Religião”. A curiosidade humana e todas as especulações da ciência surgem a partir do sentimento religioso, mesmo que esteja sonegado dentro de nós, pois é partir deste sentimento que essas especulações podem se tornar eficazes… Este sentimento é o que cria a dúvida, a incerteza e, a partir disto tudo, surgem todas as perguntas e as mais variáveis opiniões.

    • Martinimarduk disse:

      Bem tua citação é um apelo a autoridade, falácia, é uma interpretação do que o grande Físico disse em seu livro opiniões e sentenças e ainda coloco sua opinião a respeito: –

      “Religião não deveria ter nada a ver com o medo da vida ou o medo da morte, mas sim com a busca pelo conhecimento racional. A palavra Deus para mim é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis. Nenhuma Interpretação, por mais sutil que seja, pode (para mim) mudar isso.” em uma carta envia da a um físico amigo.

      A religião não cria esse sentimento que descreve e sim a angustia humana, a religião com seus dogmas vem é a a calar essas dúvidas, a incerteza é um fato do ser pensante e não do religioso.
      é nítido que quando usamos citações devemos compreender e interpretar o seu significado, o Grande Einstein não acreditava em um deus do senso comum ele via nas forças da natureza um deus e isso é heresia para as religiões, ele vivia dizendo que as forças obscuras da religião atrasavam o desenvolvimento humano. Fiz me entender minha cara?

  11. Sabrina Diniz disse:

    É isso mesmo Juliano…
    e enquanto isto a frase ‘Ordem e o Progresso’ fica tão obscura…

  12. Sabrina Diniz disse:

    Legal! Esse é o objetivo. Uma frase e muitas interpretações. Tu fez me entender, mantenho minha postura e ainda lhe agradeço pela experiência em compartilhar vossa opinião.

    Contudo ainda acredito que a religião e a ciência eram totalmente complementares para ele… ele notava, através dos livros científicos, que das histórias da Bíblia muitas não podiam ser reais e que muitos eram enganados pelo ‘Estado’ com tais mentiras. Foi a partir deste sentimento que ele começou a escrever sobre sua desconfiança, no caso, a ‘angústia humana’ citada, que não deixa de ser um sentimento oriundo de um vago e fraco sentimento religioso, duvidoso.
    Destarte, todos possuem sua opinião e isso é o que faz valer postar os comentários por aqui… 😉

  13. Jesiel disse:

    Bom, essa rivalidade de ciência e religião não é nova, na verdade nos dois casos você precisa acreditar, até mesmo um cético precisa concordar que é preciso tem um senso de crença para acreditar que tudo surgiu de uma grande explosão, do nada. A ciência de fato não consegue explicar tudo, embora já tenha explicação para muita coisa, ela ainda possui como base a observação, experiência. Com base nisso, temos eventos e fatos que não podem mais ser observados, apenas suposições, como por exemplo o surgimento do tempo-espaço, etc, para tais, a religião através da história deixou seu legado, com as crenças, diversificadas em todo mundo. Fato é que, a ciência não possui verdades inteiras, apenas recortes, que amanhã uma teoria, uma descoberta nova altera totalmente o cenário, enquanto a Religião dificilmente vai mudar suas versões, é inerte.

    Vejam a opinião do filósofo Olavo de Carvalho sobre essa questão:

  14. Marcelo Belini disse:

    Olavo de Carvalho?… Por favor, não baixemos o nível da discussão…

  15. Jesiel disse:

    Eu sei, eu sei, ninguém da esquerda gosta dele.

    Mas atendo-se somente aos argumentos: as premissas da ciência, observação e experimentação x racionalidade da fé.

    Que, ao meu ver, são até certo ponto compatíveis mas em determinados pontos incompatíveis, como já disse, a ciência não consegue explicar satisfatoriamente tudo, como o surgimento do tempo e espaço.

  16. Marcelo Belini disse:

    As discussões tinham se baseado na questão racionalidade X fé. Não existe maneira de tentar racionalizar a fé ou tentar chegar num caminho que tenhamos uma suposta “racionalidade da fé”. A fé é regida por um dos preceitos mais básicos do instinto, ou seja, o medo – que não imensa maioria das vezes é irracional e visa apenas à volta de uma sensação de estabilidade e conforto.

  17. Sabrina Diniz disse:

    É professor… Foram apenas 2 ‘linhas’ escritas pra gerar essa polêmica emm kkkkk legal!

  18. Jesiel disse:

    Fé por medo, é exatamente o que a fé não deve ser. Fé não é crer cegamente.
    Os que possuem determinada fé, deve ser racional o suficiente pra saber que não pode convencer seu semelhante de que precisa ter fé, é pessoal e intransferível, é experiência pessoal. Da mesma forma os que não possuem fé em algum ser ou força superior, não deveria julgar a experiência de outrem.

    Por isso deixo claro que, não concordo com a religiosidade ou ateísmo das faculdades, deve ser como o Estado, laico, sem influência. Embora sabemos que isso não acontece, em lugar algum.

  19. Marcelo Belini disse:

    Ainda acho que, mesmo com um investimento bruto na educação, seria difícil retirar da população em geral, a ideia de que a mesma precisa de uma “salvação” ou algo divinizado… Seria ótimo se fosse o contrário…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s